INTRODUÇÃO AO TEMA

O tema do mês de Outubro/2016 é Doação de Órgãos. Como de costume, nos aventuramos em temas que muitas vezes não conhecemos por não nos afetarem diretamente. No caso da doação de órgãos, acredito ser senso comum o entendimento de que é uma questão importante, mas se me perguntarem hoje o que eu sei sobre este tema, serei sincero em dizer que me pena não saber mais. Mas estamos aqui, dispostos a conhecer e tirar as devidas conclusões com a esperança de que este aprendizado nos leve a agir e que estas ações possam chegar nas pessoas que precisem.

No mundo inteiro há uma grande falta de doadores e isso faz com que surja grandes listas de espera. Muitos pacientes que esperam um coração, um fígado ou um pulmão morrem, pois não há nenhum órgão à disposição.

Começo o mês me perguntando: Por que não sou doador de órgãos?
Espero, com os aprendizados que virão até o final desta jornada, que eu possa responder essa pergunta
Além disso, espero que, entendendo melhor esta realidade, eu me torne um doador.

Leituras relevantes sobre o tema:

(inclua abaixo sugestão de leituras que acredite interessantes para este tema)

Resumo gentilmente elaborado por Caio Felix à partir de textos sobre o tema e das divulgações da ONG GABRIEL:

Há no Brasil uma lista de espera de mais de 70.000 pessoas e uma taxa de doadores efetivos de 9,6 pmp (por milhão de população). Isso é resultado de um crescimento contínuo na taxa de doação e transplantes, mas que ainda não é suficiente. Países como a Espanha tem essa taxa em 35 pmp. Falta informação para que isso melhore. A GABRIEL e outras ONGs se propõem a incentivar a doação e levar a informação correta à população.

É a informação que pode fazer com que essa realidade mude.

Só é possível a doação de órgãos no Brasil com autorização familiar, e essa, só pode ser concedida quando esse desejo é expresso em vida para a família. O passo principal é conversar com a família, para que uma vez constatada a morte encefálica, seus familiares autorizem por escrito a doação de partes do seu corpo (órgãos ou tecidos) que estão em condições de serem aproveitadas para transplantes e assim ajudar outras pessoas.

Morte encefálica = morte do cérebro. Interrupção definitiva de TODAS as atividades cerebrais. É irrecuperável e irreversível, por isso, quando há a morte encefálica, o indivíduo já é caracterizado como morto.

É muito importante que isso já esteja previamente estipulado com os familiares, porque há um procedimento a ser seguido. É fundamental que ainda haja circulação sanguínea para que os órgãos sejam aproveitados. Caso o coração pare de bater e irrigar os órgãos, somente alguns tecidos poderão ser doados e assim, menos vidas podem ser ajudadas.

Há uma fila de espera de órgãos, que conta com uma ordem e uma questão de compatibilidade entre o doador e o receptor para designar quem receberá o órgão. Tudo isso é feito pelas Centrais de Transplantes das Secretarias Estaduais, que acompanham todo o processo, garantindo assim o destino dos órgãos doados e retirados.

Respostas à dúvidas frequentes, legislação e cuidados a serem tomados

Associação Brasileira de Transplante de Órgãos

Clique aqui para acessar o conteúdo.
Como Poderei ser Doador de Órgãos após a Morte?
Como Proceder com o Potencial Doador Cadáver
Consentimento Familiar
Principais Causas de Morte Encefálica
O que Fazer após o Diagnóstico de Morte Encefálica
Órgãos e Tecidos que Podem ser Doados
1. Avaliação potencial do Doador
2. Cuidados Básicos na manutenção do Doador
Doação de Córneas – Vamos alcançar “Fila Zero”
Critérios para Diagnóstico de Morte Encefálica
Modelo do Termo de Declaração de Morte Encefálica

Vídeos sobre o tema:

Projetos relacionados ao tema:

(inclua abaixo sugestão de projetos que acredite interessantes para este tema)

ONG Gabriel

ONG Gabriel

Grupo de Atuação Brasileiro para Realização de transplantes Infantis e Estudos do tubo neuraL

Uma organização não governamental que atua no incentivo à doação de órgãos e tecidos através da conscientização e informação da população e profissionais de saúde. Conheça mais no Site Oficial.

ADOTE

ADOTE

Aliança Brasileira pela Doação de Órgãos e Tecidos

Uma organização sem fins lucrativos e não governamental que busca conscientizar e informar a população sobre a importância da doação de órgãos e tecidos. Conheça mais no Site Oficial.

DOE ÓRGÃOS, SALVE VIDAS

DOE ÓRGÃOS, SALVE VIDAS

Uma campanha idealizada em 2007 por uma empresária avareense que acompanhava com muita angústia o drama de seu filho.

Um projeto que gosto pelo exemplo de quem foi ajudado e passou a ajudar quem precise. Conheça mais no Site Oficial.

Relatos pessoais:

(inclua abaixo seu relato sobre o tema para que aprendamos sobre esta realidade através de sua experiência)

Relatos sobre adoção - Rádio da Universidade Federal de Juiz de Fora - com Bruno Paiva

Extraído do site DOEAÇÃO (que não existe mais) e disponibilizado pela ONG GABRIEL.

“Um dia, um doutor determinará que meu cérebro deixou de funcionar e que basicamente minha vida cessou. Quando isso acontecer, não tentem introduzir vida artificial por meio de uma máquina. Ao invés disso, dêem minha visão ao homem que nunca viu o sol nascer, o rosto de um bebê ou o amor nos olhos de uma mulher. Dêem meu coração a uma pessoa cujo coração só causou intermináveis dores. Dêem meus rins a uma pessoa que depende de uma máquina para existir, semana a semana. Peguem meu sangue, meus ossos, cada músculo e nervos de meu corpo e encontrem um meio de fazer uma criança aleijada andar. Peguem minhas células, se necessário, e usem de alguma maneira que um dia um garoto mudo seja capaz de gritar quando seu time marcar um gol, e uma menina surda possa ouvir a chuva batendo na sua janela. Queimem o que sobrou de mim e espalhem as cinzas para o vento ajudar as folhas nascerem. Se realmente quiserem enterrar alguma coisa, que sejam minhas falhas, minhas fraquezas e todos os preconceitos contra meus semelhantes. (…) Se quiserem lembrar de mim, façam-no com um ato bondoso ou dirijam uma palavra delicada a alguém que precise de vocês. Se vocês fizerem tudo o que estou pedindo, viverei para sempre.”

O que acha?