INTRODUÇÃO AO TEMA

O tema do mês de Agosto/2016 é Adoção. Incrivelmente sei pouco sobre este tema mesmo tendo uma irmã adotiva. Durante o mês recolheremos dados, relatos e informações sobre o tema para melhor entender este contexto no Brasil. A importância recai tanto nas crianças em si, quanto nos pais que procuram adotar por não terem possibilidade de conceber um filho seja por infertilidade ou seja por ser um casal homossexual. Além disso, próprios casais que podem gerar biologicamente também podem tomar a iniciativa de adoção além de pessoas solteiras. Discutamos sobre este assunto, conscientizemo-nos. Um filho adotado é aquele que nasceu do coração.

“O Brasil tem 44 mil crianças e adolescentes vivendo em abrigos a espera de adoção. Desse total, 5 mil e quinhentas estão em condições de serem adotadas. Por outro lado, existem quase 30 mil famílias na lista de espera do Conselho Nacional de Justiça para adotar. O mais difícil para fechar essa conta é superar as diferenças entre o perfil desejado pelos pais adotantes e a realidade das crianças disponíveis para adoção.”

(Trecho retirado de entrevista TV UNIVALI)

Leituras relevantes sobre o tema:

(inclua abaixo sugestão de leituras que acredite interessantes para este tema)

O pré-natal da gestação do coração

Texto de Luciane Cruz

Sobre uma gestação que pode levar anos!
Clique aqui para ler!

Sobre o processo de adoção

Do projeto Gravidez Invisível

Quero adotar, como é o processo de adoção?
Clique aqui para entender!

Adoção por parte de pessoas solteiras

Entrevista à Annie Baracat

Leia a entrevista!

10 coisas que alguém adotado gostaria que você soubesse sobre adoção

Leia sobre isto.

Vídeos sobre o tema:

Projetos relacionados ao tema:

(inclua abaixo sugestão de projetos que acredite interessantes para este tema)

Gravidez Invisível

Gravidez Invisível

Um novo olhar para a adoção

Acesso ao projeto

O menino que morava na nuvem

O menino que morava na nuvem

De forma simples e verdadeira, a publicação revela as emoções de ser uma família do coração.

Acesso ao projeto

CNA - Cadastro Nacional de Adoção

CNA - Cadastro Nacional de Adoção

Dados estatísticos sobre adoção no Brasil compilados pelo Conselho Nacional de Justiça

Acesso aos dados.

Adoção Brasil

Adoção Brasil

Passo-a-passo para adoção

Acesso ao conteúdo.

Relatos pessoais:

(inclua abaixo seu relato sobre o tema para que aprendamos sobre esta realidade)

“A paternidade sempre foi presente em minha vida, sempre foi um sonho ter um filho e poder dar a ele todo o meu amor, educar, proteger, mas os laços genéticos não  eram  para que eu realizasse este sonho, eu queria ser pai e não seria necessário códigos genéticos apenas os laços de AMOR, a adoção sempre foi o pulsar mais forte do meu coração, em novembro de 2009 decidi ir até o fórum e dar entrada no processo da Adoção, dia 5 de dezembro o processo teve início e juntamente com ele nasceu a ansiedade, a angústia da espera, os sonhos, a longa espera de uma gestão que durou quase 4 anos em meu coração ❤. Essa longa espera me amadureceu como pai, e foi o tempo necessário pra que eu conhecesse minha esposa , Luciana que também tinha o sonho de mais um filho, pois já era mãe de outros dois filho do primeiro casamento, buscamos ajuda de profissionais em métodos de fertilização em vitro mas a adoção sempre foi o pulsar mais forte em mim, ela topou entrar na fila de adoção e então demos entrada na inclusão dela no processo, em 27 de novembro de 2013 Deus realizou o nosso sonho, recebemos a ligação do fórum informando que nosso filho havia nascido e iria do hospital direto pra nossa casa, um sonho quase impossível por Deus realizado. Um lindo menino, recém nascido sem vínculo algum com a mãe usuária de drogas e bebida alcoólica… João Francisco foi a prova de que Deus realmente existe e tem um plano na vida de cada um de nós ele cuida dos seus desde o ventre… João Francisco é perfeito, lindo e muito inteligente, 4 anos de espera, angústia e ansiedades mas que valeram muito pois, Deus foi fiel e realizou da maneira mais linda o meu grande sonho… ADOTAR é GESTAR o AMOR.

Quando eu me tornei pai?

Tenho a plena convicção de que nasci para ser pai, e me tornei pai exatamente no dia em que decidi “quero ser pai”, uma decisão não muito comum entre os homens… me tornei pai naquele dia que acordei decidido a ir ao fórum e dar entrada num processo de “Adoção”, valeu muito a pena…a espera foi longa, mas o tempo suficiente para eu me tornar pai de verdade, o tempo suficiente pra Deus providenciar uma mãe para acolher e proteger o nosso filho…a decisão que era minha passou a ser nossa!!!

Me tornei pai quando aquele telefone tocou, era a notícia mais esperada, seu filho nasceu…e então me tornei pai…quando te vi pela primeira vez, quando te envolvi em meus braços, quando senti o teu cheiro, então me tornei pai, no primeiro banho, nas noites e mais noites acordado, quando  dormiu em cima de mim para aliviar a suas cólicas…seu primeiro resfriado…seu gatinhar…a primeira vez que me chamou de pai, seus primeiros passos tudo isso me tornou “pai”.

Me tornei pai quando assumi cuidar de você e te proteger independente das dificuldades…quando mamãe estava doente e cuidei de você por quase dois meses sozinho…isso também me tornou pai.

Assumi ser pai sem medos, sem tabus, sem preconceitos, a “Paternidade Ativa” passou a ser minha missão incansável pra te proteger e te dar conforto e segurança, meu filho, meu orgulho, meu alvo, minha vida, meu verdadeiro amor…” Claudio Silva

mariaangelica“De todas as muitas alegrias que a Vida me reservou, esta sem dúvida é mais do que especial. A maternidade. Então hoje vou contar um pouquinho da nossa história para vocês. Sempre tive o sonho de me casar e ser mãe, mas o tempo foi passando, passando … Em 2004 conheci o meu companheiro de vida, e nos casamos após 1 ano, 3 meses e 4 dias. Quase 2 meses depois nosso filho nasceu, porém só fomos nos encontrar depois de 8 anos e meio. A adoção sempre fez parte dos nossos planos de forma bem natural. Então, já aposentada do trabalho “registrado”, um dia fomos chamados para conhecê-lo. Impossível não se encantar : lindo, inteligente, esperto, cativante, um astral luminoso, um sorriso doce, gentil, simpático. Afinidades mil entre nós três. Livre da “marcação de ponto ” do trabalho, pude ir no abrigo quase todos os dias. Nosso processo foi rápido, em um mês e meio já tínhamos o Termo de Guarda para Fins de Adoção expedido pelo Forum de São Paulo. Recebemos muita ajuda de pessoas que se empenharam para nos auxiliar nesta etapa. Meu filho, muito sociável e aberto para o mundo, elaborou junto as 125 lembranças que demos para todas as pessoas que foram importantes para ele nos 2 anos de abrigamento. Após o término de suas aulas, entramos em nosso lar como uma família completa. Passamos um ano inteiro comemorando todos os meses o nosso “aniversário de convivência” . Se quiserem dicas, podem me perguntar. Nosso período juntos foi muito intenso. Como intensa é a vida dos papais e das mamães e dos filhos pela linda via da adoção. Superamos juntos as dificuldades que surgiram. Crescemos muito como pessoas . O processo da adoção é transformador para todos. A etapa final ocorreu em março deste ano, quando recebemos a nova certidão de nascimento constando oficialmente a nossa paternidade/maternidade e avoengos.  Aprendo muito com o meu filho, que é muito companheiro e participativo, dotado de muitas habilidades: é criativo, engraçado, alegre, canta, dança, faz uns pratos na cozinha, adora música, é sempre vibrante e intenso. Intenso. Intensamente. Um dia, pensando sobre o que poderia fazer em termos de trabalho,  a ideia surgiu como um flash : prestar assessoria aos adotantes e divulgar o tema da adoção.  Perfeito! Bingo! Criei uma página no facebook : Anjos da Guarda Serviços de Apoio a Adoção, onde respondo dúvidas dos adotantes e publico mensagens de esclarecimentos e para reflexão. Atendo pessoalmente os adotantes com questões sobre todas as etapas do processo. Faço palestras em diversos lugares, para diversos públicos, onde divulgo o tema da adoçao. Tenho conhecido pessoas fantásticas. Meu objetivo é que um dia não haja mais nenhuma criança ou adolescente em abrigos, todos estarão em famílias amorosas e apoiadoras, onde possam crescer cercados de carinho e desenvolver todo o seu potencial.  O mundo da adoção me abriu portas que nunca pensei existirem, além de ter me tornado uma pessoa melhor formulada. Mihnha consciência se expandiu. Faço parte da APM da escola. Reciclo lixo. Combato o desperdício da água e dos recursos naturais do planeta. Fiquei mais chorona, tudo me emociona profundamente. Cozinho muito mais. Diz meu filho que o meu feijão é insuperável e sou a melhor cortadora de bananas da área. Lembro quando meu pequeno chegou, vestindo roupas tamanho 8 e calçando 33. Hoje cresce em ritmo acelerado, suas roupas são 14 ou 16 e calça 40, em seus 10 anos. Acho que encontrou seu chão e a seiva, antes retida, circula alegremente por todas as células do seu corpo.  A foto que marquei é muito significativa: foi logo após sua chegada, e este nosso olhar mostra o coração transbordando de amor que une filho e mãe. Obrigada a todos.” Maria Angélica

O que acha?